quarta-feira, 4 de março de 2015

Julgar ou constatar?

Graça, Paz e Alegria!

Muitos erram, pecam, por não conhecer as Escrituras...

Em nossos dias, em pleno século 21, parece que ainda vivemos a "Era das Trevas" e as pessoas ainda não conseguem acesso ao texto Bíblico, e os líderes religiosos falam o que querem de tais textos e as pessoas acreditam...

Isso vale para qualquer assunto: Graça (as pessoas preferem regrinhas), Mordomia Cristã (até parece que o mordomo cuida de tudo e entrega para o dono apenas 10%... o mordomo cuida de tudo que é do Dono e não tem falta de nada), entre outros assuntos...

Hoje, escrevo sobre um desses assuntos que estão "entre os outros assuntos": "Não julgueis"...

Gosto de "passear" pelas Escrituras, observando exemplos que podem ser comparados com atitudes atuais. Alguns negam a semelhança, mas durante tanto tempo, mesmo Isaías dizendo que o Senhor se assentava sobre a redondeza da Terra (Isaías 40.22), aproximadamente 700 anos antes de Cristo, a "igreja" ainda reclamava na Idade Média com quem dizia isso... O que para mim prova que eles não usavam o que a Bíblia diz, pois nem conheciam! Apenas faziam sua vontade e diziam que estava na Bíblia... Muitos culpam a Bíblia, mas quem errou naquele momento não foi por interpretar a Bíblia de forma errada, mas por nem conhecer o texto! Usavam como "amuleto", como "escudo", mas não como regra de fé e prática...

Antes de citar Jesus (nosso definitivo exemplo), para que ninguém comece dizendo que Ele era diferente, era homem, mas era Deus, sabia o que ia no coração das pessoas e a Bíblia revela isso em algumas situações, e outras afirmações do tipo, vou "caminhar" pelo Novo Testamento e verificar algumas atitudes de pessoas que foram inspiradas pelo Espírito Santo na escrituração da Bíblia e que devem ter buscado esse mesmo Espírito em suas atitudes cotidianas.

Comecemos com Paulo:

1 Coríntios 3.1 - "E eu, irmãos não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo" - Paulo "julgou" a condição dos de Corinto como "carnais"? Ah... ele tinha informações... Mas hoje em dia, mesmo com informações e até mesmo constatações pessoais,. se ousássemos falar uma coisa assim, alguém se levantaria para dizer que "estamos julgando" e quem sabe até devolveria que nós somos carnais, porque "na mesma medida que julgamos, somos julgados"... Mas ninguém ousa dizer que Paulo "julgou"... Logo... é possível constatar uma situação dessas sem julgamento, não é mesmo? Pois se Paulo podia... nós também podemos...

1 Coríntios 5.1-13 - Paulo chega a declarar que "pelo poder de nosso Senhor Jesus" quem estava fazendo o que ele trata nesse ponto da epístola, "seja entregue a Satanás para destruição da carne". Além de "julgar", deu uma "sentença", uma "condenação"! Claro que não... mas pelo que muitos falam nos dias de hoje, seria isso...

Gálatas 3.1-5 - chega a chamar os da Galácia de "insensatos". Pelos padrões de interpretação de nossos dias, julgamento...

Agora, outros escritores Bíblicos:

Tiago - capítulo 4 - leia esse texto e tente dizer que não é julgamento, diante do padrão de interpretação de nossos dias. Mas não era julgamento!

Pedro, em 2 Pedro 2, falando de "falsos mestres". É importante ter em mente que tais mestres não necessariamente vinham de fora do grupo de cristãos, mas passavam a interpretar o cristianismo de uma forma deturpada. Eram cristãos, reconhecidos como tal, ainda falavam algumas coisas que se comparavam com as falas de outros cristãos, mas diziam outras coisas que iam até mesmo contra a própria revelação do Evangelho, parecendo que fazia sentido. Em nossos dias, não é porque tem aparência de cristão, fala de Jesus, usa a Bíblia, que necessariamente segue esse Evangelho, como era naqueles dias! E ai de nós hoje em dia se ousamos falar que alguns não seguem de fato o Evangelho... Já se levantam muitos julgadores dizendo que não devemos julgar, que há frutos (muitos convertidos - como se isso fosse o verdadeiro fruto - esse, na verdade, é vida mudada de acordo com a vontade do Senhor). Pedro podia alertar sobre o erro dos que poderiam até parecer cristãos (e desses, muitos dos tais textos apócrifos no tempo do Novo Testamento foram escritos - por eles ou por "discípulos" que entendiam que a autoridade maior de um personagem mais conhecido poderia dar mais legitimidade ao texto). Mas hoje em dia, é julgamento!

Termino esse "passeio" por atitudes de personagens do Novo Testamento que, em nossos dias seriam tidos por julgadores, mas que são aceitos normalmente em seu tempo e mesmo hoje em dia (mas apenas eles são aceitos - se outros fizerem a mesmíssima coisa, serão tidos como "julgadores"), com João - segunda carta 7-11 e a terceira carta, 5-12 - mais uma atitude que, em nossos dias, poderia ser classificada como julgamento, mas que é aceito no texto Bíblico. Mas só no texto Bíblico! Que ninguém tente fazer igual... claro que pode fazer! Vão dizer que é errado, mas para dizer que você está errado, terão que dizer que os que citei aqui também estavam...

Antes de seguir com exemplos de Jesus, quero citar apenas um personagem histórico: Martinho Lutero. Quando ele afixou as 95 teses na porta do castelo de Wittenberg, ele estava revelando seu julgamento a respeito da forma como a igreja procedia naqueles dias? De forma alguma! Estava alertando para erros entre a prática e pregação da igreja, e a realidade da revelação da Palavra! Por que Lutero pode fazer isso e nós estamos julgando se fizermos algo parecido? Ah... tinha erro doutrinário... mas muitas vezes nos nossos dias há erro doutrinário também, e mesmo assim, alguns não aceitam que se faça o devido alerta...

Será que há uma interpretação errada sobre o que é "julgamento"? Com certeza! Podem negar, mas situações idênticas em nossos dias são tidas como julgamentos! Podem dizer que não, mas vejo isso tanto pessoalmente como através de blogs e redes sociais... Não julgo! Constato diante do que vejo... Não fico imaginando o que fez ou tentando dar razões para o que queria com o que fez; mas posso constatar como faziam os escritores da Bíblia acima citado diante dos atos ou da pregação do "evangelho" - muitas vezes, um outro "evangelho", com alguns pontos parecidos, mas com muitas coisas distantes do que realmente revela o todo da Bíblia.

Podemos sim notar o que acontece, podemos observar e "provar" as revelações, interpretações e afins, podemos comparar com a Palavra de fato e não com textos isolados e constatar a profundidade de uma mensagem - se está arraigada no Evangelho do Senhor ou se está fundamentada em algum "vento de doutrina". Isso não é julgar! Hoje em dia, por alguém ter a igreja cheia, imagina-se que tem muitos frutos. Mas já escrevi: os frutos não são muitos que se achegam para o grupo chamado "igreja", mas pessoas verdadeiramente impactadas e transformadas pela mensagem do Evangelho, que buscam orientação e consolo do Espírito Santo em suas vidas. Podemos ter multidões seguindo um herege! Acontece muito... Alguns são hereges conscientemente, enganam o povo mesmo... Outros, podem estar enganados com a interpretação e com os resultados obtidos, e são guias cegos...

Deixei para o final observações da conduta de Jesus, de quem devemos ser imitadores, e expliquei no começo a razão: não queria que logo no começo alguém tivesse aparentes razões para desacreditar o texto todo:

Jesus chamou líderes religiosos de seu tempo de "raça de víboras". Não eram descrentes simplesmente! Eram líderes religiosos! Podem dizer que ele tinha como saber o que ia no coração das pessoas por conta de algumas citações nesse sentido, mas Ele não faria uma observação dessas se não fosse possível identificar algo assim com a direção do Espírito Santo! Somos imitadores dele, certo? Jesus mesmo diz que faremos coisas maiores que as que Ele fez, não é mesmo? Então! Busquemos no Senhor a verdadeira interpretação do que nos revela a Palavra para que possamos distinguir entre o que realmente faz sentido com o todo da Bíblia e o que é "texto isolado" ou ainda "vento de doutrina"! O que é assumidamente distante do Evangelho, acho que é mais fácil notar... Mas há coisas que podem se confundir com a Mensagem do Evangelho caso não nos preocupemos com a devida observação e conhecimento...

Quando Jesus chama líderes religiosos de "hipócritas", vai na mesma direção. E veja: O Evangelho de João nos revela que Jesus veio para os seus e estes não O receberam! Por conta disso, a todos que O receberam foi dado o poder de serem feitos filhos de Deus, a todos os que viessem a crer no Seu nome... Logo, antes da cruz, Jesus tratava sim com os judeus! Alguns exageram nessa interpretação, mas um observador minimamente atento pode notar claramente isso. Logo, Jesus queria colocar em ordem a interpretação da Lei para os seus. Como esses não receberam esse ajuste com bons olhos, Ele foi para a cruz e completou o encaminhamento da profecia, alcançando outras ovelhas, agora por Graça!

Em nossos dias, principalmente se o líder religioso tem muitos seguidores, muitas igrejas, é quase ser anátema resolver mostrar que a interpretação das Escrituras está errada! É julgamento! Mas... Jesus se preocupou com isso... É preciso se preocupar com a mensagem divulgada, pois o compromisso do Senhor é com o Evangelho anunciado e revelado, e não com as interpretações que parecem fazer sentido... A essas, como os primeiros cristãos, quer seja comportamentos completamente contrário ao viver de quem é guiado pelo Espírito, quer seja uma pregação que parece fazer sentido, mas que não tem coerência com o todo da Bíblia, caso falemos disso, não estamos julgando!

Precisamos entender melhor o que Jesus disse em João 7.24: "Não julgueis pela aparência mas julgai segundo o reto juízo"... Isso tem confirmação em 1 Coríntios 14.29 - "E falem os profetas, dois ou três, e os outros julguem", ou ainda 1 João 4.1-6 (alguns pensam que "provar o espírito" é algo apenas para um momento onde um demônio seja revelado ou expulso, mas o contexto desse texto revela que é algo para pregações e pregadores, falsos profetas).

Observar e constatar, com base nas Escrituras, não é julgar fora do reto juízo... É provar ou julgar de acordo com esse reto juízo... Precisamos crescer nesse entendimento!

Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Pelos frutos os conhecereis...

Graça, Paz e Alegria!

Em 2010 escrevi nesse blog sobre a "mudança de voto" de Silas Malafaia... A questão não era a mudança em si, mas os argumentos que ele usou na época para "justificar" a mudança de voto... Agora, como ele disse mais coisas depois daquilo, posso avançar na minha observação e posso notar que estamos diante de um grande problema que precisa mesmo de oração, confissão, arrependimento, mudança e ajuste para com a vontade do Senhor...

Para mim, está mais do que claro que Silas Malafaia quer, de novo, que o PT vença a eleição... Posso estar errado, mas isso já está claro para mim...

Desde 2010, toda vez que ele declara apoio para um candidato para presidente, esse candidato cai nas pesquisas e outro sobe...

Lá, ele disse que ia votar em Marina, mas depois ficou todo revoltadinho por não ser capaz de entender que, mesmo que pessoalmente sigamos o que professa o cristianismo, não podemos fazer do Brasil uma grande comunidade via presidência... isso deve ser  buscado por evangelismo e não por política...

Aí, contrariando sua palavra em 2010, ele mudou a declaração do seu voto de Marina para Serra... Cada um vota em quem quiser... Mas depois do que ele disse este ano (e foi ele quem disse e não eu), ele foi contra a sua palavra...

Serra foi para o segundo turno com Dilma, mas Marina cresceu nas pesquisas, até que nas urnas teve muito mais que se dizia que ela teria, enquanto Malafaia a apoiava... Marina, em 2010, cresceu sem o apoio dele...

Aí, em 2014, já está claro, para quem quer a verdade (quem quer a mentira, fique com ela), que o plano de governo de Marina passou por erratas e não por mudanças de opinião... As pessoas responsáveis pela correção da redação final das áreas (e teve mais de uma, mas só se fala de uma) em que as erratas aconteceram, já assumiram que erraram e enviaram o texto errado, que a errata revelou o texto certo e que já estava pronto antes do lançamento do plano de governo de Marina...

Mas querem dizer que Marina mudou de opinião nesse único assunto que ainda é levantado por conta das erratas (insisto: tem mais de um, mas só querem dar evidência a esse, para criar animosidade com um grupo que luta por direitos e para manter a falsa ideia que Marina mudou por conta do Malafaia) depois dos "tuítes" de Malafaia... Ele apoiava o Pastor Everaldo naquele momento! Ele ia defender qualquer outro? Se ele tivesse a chance de atacar qualquer um, ele atacaria, para tentar ganhar votos para o seu candidato! Ele não queria que Marina mudasse... ele queria, de fato, que se aquela era mesmo a ideia de Marina, tentar fazer os evangélicos mudarem o voto para o Pastor Everaldo (Malafaia apareceu no horário eleitoral do Pastor Everaldo!)! A "espera" para escrever mais depois talvez revele que ele tinha alguma expectativa de que se batesse logo de cara e depois acontecesse alguma errata, ele é que ficaria ruim...

Erratas podem acontecer com Aécio (mesmo sem divulgar o plano de governo, já ficou claro que os tucanos assumiram a ideia de acabar com o fator previdenciário e depois que Aécio deu entrevista ao Bom Dia Brasil, mudaram isso nos sites - isso é uma errata!!!!!), com Dilma (que nem consegue lançar o plano de governo por divergências dentro do partido... imagina a concordância de uma nação!!!) ou com qualquer um...

Bom... voltando para Silas Malafaia...

Depois das erratas, ele disse que votaria em Marina em um eventual segundo turno, porque no primeiro turno ele votaria em Pastor Everaldo, pois era uma pessoa de palavra...

Bom... se pelos frutos conhecemos, apresento Silas Malafaia:

- O "seja o vosso falar: sim, sim; não, não" vale pouco para ele... ou, ele está dando muito lugar ao maligno, pois o que passa disso vem dele...

- Em 2010 ele disse que votaria em Marina e não cumpriu sua palavra, pois mudou para o Serra... naquele momento, eu dizia que ele poderia escolher quem ele quisesse, mas quando, este ano, ele disse que não mudaria o voto do primeiro turno no Pastor Everaldo porque era homem de palavra, ele ficou refém de sua afirmação e ele não é um homem de palavra...

- Por fim, poucos dias depois de dizer que era homem de palavra e que mantinha seu voto no Pastor Everaldo, ele passou a fazer campanha para Marina. Mais uma vez, não foi homem, não teve palavra e o seu falar foi além do "sim, sim; não, não", logo, veio do maligno...

Desde que ele "entrou" na campanha de Marina, primeiro atacando, agora apoiando, ela só cai nas pesquisas...

Silas Malafaia: Vamos orar! Tem algo muito estranho em tudo que você faz quando envolve política! Espero que seja apenas nesse assunto, mas mesmo que seja apenas nesse assunto, precisamos orar! E se isso se aplica a outras situações, oremos também! Porque ou você quer que Dilma vença a eleição e faz isso que tem feito por saber que seu apoio é terrível para qualquer candidato e então, apoia quem poderia vencer Dilma, ou precisamos ampliar a busca em oração para que sua atuação seja realmente acertada, pois no momento só tem causado problemas!

Sei que a vontade do Senhor vai prevalecer e se Dele vem a direção para que qualquer um vença, essa pessoa é que vai vencer, com ou sem seu apoio... Mas o que vem acontecendo durante pode causar problemas para você, Silas Malafaia. Oremos para que, independente do que nos reservar as urnas nesta eleição, você possa se ajustar nesse aspecto, pois isso pode causar muitos problemas para o Evangelho, não apenas para eleições...

Afinal... muitos o reconhecem como pessoa que tem coragem de dizer as coisas... E essas incoerências podem afetar não apenas a você, mas ao Evangelho, que não perderá em sua essência, mas poderá ter, por conta de sua atuação nesse assunto, muito questionamento... Antes de questionarem a você, em sua forma de agir, para quem sabe até lhe dar a chance de refletir, orar e ajustar as coisas, muitos poderão questionar o Evangelho, pois se você é uma pessoa de coragem ao falar do Evangelho e faz isso, é porque o Evangelho seria "incoerente"... quando as nossas atitudes é que muitas vezes são incoerentes com o Evangelho...

Oremos! E que seja feita a vontade do Senhor e não a nossa...

Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Infelizmente, Reinaldo Azevedo ainda não entendeu que "bater em Marina", fortalece Dilma e não Aécio... OU: Reinaldo Azevedo quer mais é que o PT vença para ele poder manter sua coluna sem precisar reavaliar os assuntos...

Graça, Paz e Alegria!

Notaram que fiz um "título" parecido com os de Reinaldo Azevedo em algumas ocasiões? Usando "OU"... mas sei que o texto não terá tamanha competência (concordando ou não com o que ele escreve, eu sei admitir que ele escreve com brilhante competência)...

A polarização PT x PSDB já passou da conta... Não consigo mais aceitar uma pessoa dizer que vota no candidato que o PT ou PSDB apresentar (acontece mais com relação ao PT), independente de quem seja... Se o partido apresentar, vota... Mas que está sendo legal ver tanto tucanos como petistas postando e comentando favoravelmente aos textos de Reinaldo nesses últimos dias... está... Num dia, ele é o "manipulador" para petistas... no outro, a chance de esclarecer a população contra Marina... pois é... não é um debate de fato, é apenas "usar o que interessa" e quando interessa... E quando não interessa, se faz a "crítica pela crítica", só pra deixar a "mancha" na história e no imaginário popular...

Já passou da conta essa polarização na eleição presidencial... Quase acaba com eleições estaduais, indo no mesmo caminho... Sem contar com as brigas em cidades...

Não prego, como alguns, que não se vote nem em PT ou PSDB... Mas dentro do PT eu só lembro mesmo de uma pessoa que eu votaria para presidente... E no PSDB, lembro de 3 nomes que voto sem pestanejar... No mais... para votar em qualquer quadro apresentado por esses partidos, eu teria que avaliar muito bem e, sinceramente, a preferência seria por votar em candidatos de outros partidos, se encontrasse alguém que merecesse meu voto...

O número mágico do PT nessa eleição não tem sido o famoso "13" do partido... Mas as pesquisas mostram um número que se repete mais que os outros: 36... Esse deve ser o percentual "cativo" ou mais próximo de ser "cativo" do PT, independente de quem seja candidato para presidente...

O PSDB varia entre os seus 20 e 25%... de "cativos"...

Os "cativos" votam como se vota no "Maluf", pra quem conhece o "malufismo"... Mas esse número sempre pode aumentar com "indecisos", "voto útil", escolha em um segundo turno com os dois na disputa... essas coisas...

Antes da definição de quem seria candidato pelo PSB, as pesquisas já mostravam maior índice de votos em Marina que em Eduardo Campos... Mas os números eram interpretados de tal forma que eu dizia: "Querem Eduardo Campos na disputa... não querem Marina"...

Desde Eduardo Campos ainda na disputa eu converso com pessoas próximas dizendo: Quem pode unir as oposições contra Dilma não é Aécio... É Eduardo Campos, por conta do índice de rejeição... Sei que os dias de campanha e a "central de boataria" agindo poderiam mudar isso... Mas era como eu interpretava os números...

Depois que Marina entrou na disputa, ela não apenas retomou os índices com base na votação de 4 anos, e muito menos retomou os índices de quando ainda tinha mais intenção de votos que Eduardo (antes de anunciar a chapa - e ela já tinha mais intenção de votos sem ser candidata mesmo do que teve de votos mesmo 4 anos antes: quer dizer que continuava "crescendo"), mas subiu muito além daqueles números de 4 anos atrás ou das primeiras pesquisas antes de definir chapa... É uma candidatura consolidada, e que então, passa a ser alvo de PT e PSDB...

Mas notem que a polarização entre os dois ainda não acabou! Os dois "atacam" Marina em seus discursos (PT e PSDB concordando no discurso?), mas ainda insistem nos ataques da polarização... É claro... ainda sonham com a possibilidade de voltar a ter que se preocupar apenas um com o outro, pois fica mais fácil desenvolver argumentos "contra" quando tem que se pensar em apenas um...

Bom... esses dias acabaram! Mesmo que ainda tenhamos apenas PT e PSDB no segundo turno, que Marina perca terreno, a polarização já foi atingida... Agora, mesmo que não aconteça esse ano, o caminho para o fim disso já está traçado... E, sinceramente... espero que seja este ano... E que Marina vença a eleição... E mais: faça um governo que permita a maioria do eleitorado (menos os "cativos" de PT e PSDB que, mesmo que os seus candidatos digam "não votem em mim", mesmo assim eles votam, pois só sabem pensar no partido e nunca numa verdadeira avaliação do quadro, podendo mudar de candidato/partido dependendo do que se apresente) note que essa polazrização não foi boa, que podemos até votar em quem é do PT ou do PSDB, mas não porque o partido apresentou... Antes, que seja porque realmente é o melhor para o Brasil... E que, se o melhor estiver em outro partido, vamos atrás disso, sempre buscando o melhor voto e não o voto definido, independente de quem se apresente...

Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Entrevista de Marina ao JN

Graça, Paz e Alegria!

Levando-se em conta o que aconteceu nas outras entrevistas, Bonner tinha que fazer a entrevista como fez com Marina...

Bom... vamos lá:

Sobre o avião: O ideal sempre é o "líder" em um grupo saber o que está acontecendo, tanto quando as coisas estão em ordem como quando há erros, delitos ou o que quer que seja. E muitas vezes sabe, mas diz que não sabe... Nesse caso, entra a investigação para mostrar onde está o erro e quem realmente sabia do que aconteceu.

Acontece que o normal é "delegar"... Ou não é normal? Você confia numa pessoa para fazer a coisa certa e espera que ela faça de fato as coisas dentro da lei...

Quando o escândalo do Mensalão foi denunciado, Lula rapidamente disse que o PT tinha que pedir perdão ao Brasil e que ele tinha sido traído... Essa foi a primeira reação dele... Depois, começou aquele papo de que não sabia de nada, e em momentos mais atuais, disse que a história seria reescrita (se ele não sabia de nada, como poderia dizer que a história ia ser reescrita? De algo, sabia, no mínimo, que não era como foi denunciado!) e tudo mais... Eu consigo sim acreditar que ele delegou para pessoas de confiança que trairam a sua confiança. Posso até aceitar que ele não sabia de nada... Mas o que diz depois, eu não consigo mais engolir, sinceramente... E fico preocupado com o que disse antes, pois se quer negar tudo, pode ser tudo diferente mesmo, mas... essa é outra história...

É possível qualquer "líder" acreditar que seu "liderado" esteja fazendo a coisa certa e ser traído... O problema não está nisso... A corrupção pode ser até orquestrada! O "liderado" pode fazer acordo com outros partidos para que haja o erro com o partido dele, vai saber... É possível chegar a esse ponto, por que não? Acredito que o caso do avião do PSB não seja esse, mas é possível...

O problema não está em confiar e ser traído... Pessoas muito próximas podem nos trair! Por qualquer motivo...

O problema se apresenta em como reagimos diante do fato!

Primeiro, deve ser investigado, pois pode ser uma denúncia falsa... Se for falsa, acaba (deveria acabar)... Se for verdadeira... segue...

Segundo, deve ser apresentado quem realmente fez... O "líder", aqui, precisa se posicionar a favor da verdade! Não pode defender o "liderado" e ir contra a verdade. Normalmente quando o "líder" defende o "liderado" mesmo depois de comprovado o erro, há outros interesses e outros culpados... O "líder" que se posiciona a favor da verdade, cobra o "liderado" e tira da posição de confiança...

Terceiro, precisa ficar claro que o "líder" afastou o "liderado" que traiu a confiança. Que a verdade precisa prevalecer. E se houve erro, tem que punir! Não adianta só falar que deixa investigar, mas precisa aceitar o resultado da investigação diante das provas, em vez de ficar tentando inverter a interpretação. Deixar investigar e depois inverter a interpretação das provas é tentar, no mínimo, desmoralizar quem investigou diante da opinião pública, deixar uma mancha que, mesmo que não seja verdadeira, em tempo oportuno possa ser lembrada...

Então, é preciso saber quem estava cuidando das coisas do avião e verificar porque entrou pelo caminho do errado, correndo o risco de causar problemas ao "líder" que nele confiou...

Qualquer um pode ser traído... o problema não está nisso... O problema é como reage diante dessa traição... isso pode revelar se foi mesmo uma traição ou se havia algum tipo de acordo para, caso fosse descoberto, apenas assumir se fosse o caso e ainda ter algum benefício diante do caso...

Votos no seu Estado: Normalmente, o candidato acaba perdendo votos em seu estado quando concorre para um cargo diferente. Marina foi Senadora pelo Acre. E no seu estado, pode sim ter menos votos, por conta da conjuntura política (ela em 2010 era tida como "desertora" do projeto de Lula e até se cogitava que fez isso por não ser ela a escolhida para a eleição), ou porque enfrentou alguns interesses, como ela disse na entrevista. Depois de 4 anos e da tida como "desastrosa" escolha de Lula ao indicar Dilma, pode ser que essa conjuntura seja diferente. Mas Lula não emplaca em seu estado também, onde o PT nem mesmo conseguiu eleição para o governo (São Paulo). Dilma não tem como ser comparada nesse ponto. Aécio tem caído em pesquisas em Minas Gerais... Logo... esse não é apenas um fenômeno de rejeição pura e simples: pode ser influenciado por boatos, por conta de outros candidatos que se entenda ter melhor condição ou até ter menos votos no estado pode ser indicador de boa conduta, pois pode ter perdido não por fazer um mal papel durante o mandato, mas por ter feito o que desagradou a alguns... Há muitas possibilidades além da "rejeição" pura em simples...

Posições Pessoais: No Brasil, ainda que se possa editar medidas provisórias e encaminhar decretos, o Congresso pode não encaminhar até que perca validade ou derrubar, impedindo que se mantenha a decisão... Logo... Ainda que o presidente tenha suas posições, essas não irão prosperar necessariamente... O Congresso acaba sendo mais importante nesse caso e temos que ver se os que lá estão apenas aprovam o que quer o Governo ou se encaminham coisas de acordo com a vontade popular de fato... Fiscalizar os Deputados e Senadores já diminui a chance do Presidente apenas encaminhar o que tem como "posição pessoal"... Isso vale para qualquer assunto (transgênicos, células tronco, o "sexo dos anjos", qualquer um)...

"Nova e Velha" Política: Passa por só escolher para os cargos os que são "aliados"... Há acordos que precisam ser feitos e encaminhados... Mas usar toda a máquina pública para encaminhar esses acordos fica complicado! É preciso negociar com todos! É preciso encontrar os melhores para as funções, mesmo em caso de acordo! Não pode ser escolhido só porque é do partido de apoio... É preciso unir essa questão com a excelência e já passou da hora de ser assim!

Assim, é preciso ir além desses acordos na hora de compor ministério e encaminhar as coisas...

Além disso, é preciso parar com essa coisa de "campanha", onde se "demoniza" tudo que o outro fez. Nos "corredores do poder", eles são amigos, mesmo que em partidos que se posicionam em oposição ao outro... Não precisa ficar elogiando o "inimigo", mas "demonizar" é um abusrdo, pois acirra uma briga por parte de pessoas que nem estão ligadas com esse assunto... o povo acaba "comprando" a briga que nem existe de fato e a sociedade se divide... PT e PSDB nem são tão "inimigos" assim... A campanha precisa ter nível e não ficar com acusações apenas...

E... é preciso ir além da sua posição pessoal... Não dá pra querer apenas o que quer pessoalmente... É preciso saber negociar, sem conchavos ou acordos, mas apenas vendo o que pode ser melhor para o momento, para o Brasil... Pode ser ilusão, mas ainda acredito que seja possível negociar posições apenas com base no que pode ser melhor em vez de se fazer acordos para ter benefícios...

Escolher os melhores, diminuindo os acordos para escolhas, assumindo o valor do outro, mesmo que em "oposição" e ser capaz de negociar a sua posição pessoal para ter um equilíbrio com a posição do outro, mesmo sem ter benefícios pessoais, apenas visando o melhor para o Brasil seria fazer a "nova política"...

Dessa forma, eu entendi muito bem o que Marina disse... quem não entendeu, pode rever por aqui...

Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor
http://twitter.com/Pr_Ricardo_
http://twitter.com/BlogsComparti
http://www.compartilhandonaweb.com.br

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Graça só na Política?

Graça, Paz e Alegria!

Quando uma pessoa erra, muitos ficam falando do erro por anos, mesmo que haja arrependimento, mudança de vida, testemunho dessa mudança... Quando erra de novo então...

Quando se pensa que uma pessoa errou, mesmo que não tenha errado, ficam falando por anos: "mas tem aquele caso..."...

Isso mostra o quanto não entendemos a Graça... Alguns pensam que se pode "baratear" a Graça quando se pensa em um convertido que acaba pecando... Mas a Bíblia mesmo nos diz que não devemos pecar mais e que quando seguimos a vontade do Senhor, fugimos dessa prática... e o conhecimento nos é dado para que não venhamos a pecar... mas se todavia isso ainda acontecer, temos advogado no Céu... ou isso não está escrito??????? Devemos sim fugir do erro, mas se isso acontecer, mais uma vez devemos reconhecer, nos acertar diante do Senhor, com sinceridade e seriedade, confiando mais uma vez na Graça. Isso é o que lemos em Paulo e em João, apenas para citar exemplos que deixam claro coisas que escrevemos acima...

Mas em política... é diferente... e em alguns casos...

Com o irmão na fé, com aquele que anda do nosso lado no dia a dia, agimos como escrevi antes... lembramos do erro e do erro que foi dito mesmo que não tenha acontecido...

Com o político que segue linha diferente da que alguns gostam, mesma coisa... um erro de gramática é suficiente para se condenar... E infelizmente, não é algo apenas fora da igreja... Mesmo pessoas "de fé" andam agindo assim...

Mas com o político que segue a linha que alguns gostam... tem que ver tudo de bom que fez e não falar do erro!!!! Tanto os "de fora", como os "da fé" andam fazendo isso...

Ao falar de um erro sério, sempre se ouve: "mas tem que reconhecer os avanços..."...

Quer dizer: eu tenho que reconhecer avanços que a economia sente no dia a dia que não são tão vantajosos assim... Tenho que reconhecer avanços de pessoas que hoje recebem o "Bolsa Família", mas não posso falar que o esgoto perto de suas casas corre no quintal ou bem perto... Não posso dizer do que tem de errado e que ainda falta porque todo mês tem dinheiro disponível para as pessoas... Então, paga-se para que aceitem escola de baixa qualidade, saúde sempre com problemas e limitada, e ainda dentro da questão da saúde, a questão de esgoto... e tantas outras coisas...

Não posso nunca dizer que as pessoas não devem receber esse dinheiro diante da necessidade... Mas NUNCA vou dizer que isso é avanço suficiente! NUNCA! Falta muitas outras coisas que já deu tempo de fazer. E a má utilização do dinheiro público no caso da Copa prova isso de forma clara! Dava para fazer...

Quem diz que eu devo reconhecer que o Bolsa Família é o avanço que deve ser reconhecido diante de todos os erros que estão em pauta (leis, decretos, desvios de dinheiro e tantas outras coisas) e que não foram resolvidos, quer que eu feche os olhos para as outras coisas que estão ruins mesmo?????? A criação de empregos caiu, os empresários que criaram esses empregos, agora deixam claro que não tem como fazer isso, antes alguns postos criados podem deixar de existir por conta de problemas na economia e na questão de segurança (e os índices de criminalidade continuam crescendo mesmo com a tão alegada "igualdade" e "distribuição de renda" - e não  adianta pegar casos onde "filhinho de papai" anda roubando por aí, porque mesmo com isso, os que deveriam ser alvo dos avanços que eu tenho que reconhecer em vez de falar das coisas erradas, também entram na criminalidade)...

Então: podemos ter problemas na economia... a inflação está comendo mais do que deveria do dinheiro... o "espetáculo do crescimento" não é tão espetacular assim... mal uso do dinheiro público... precisava diminuir gastos e cargos, mas não faz isso... juros altos... é muito imposto... pouco retorno para a população... desvios e corrupção... e eu tenho que reconhecer avanços... que nem mesmo se sustentam, apesar de importantes... mas que se avaliarmos seriamente a questão, por mais que sejam importantes, não são nem de longe suficientes e até agora não se avançou de fato no que precisa! Tem que reconhecer o que é importante, mas de longe insuficiente, e não pode nem falar que precisa de mais... As obras do PAC "1" ainda estão longe de terminar, mas já tem "2", "3"... mas nem terminou o primeiro! Mesma coisa com "mina casa, minha vida", que lança novos sem terminar de atender os que precisam desde o primeiro! E não pode falar do que está errado... Parece que para fazer as outras coisas que ainda faltam teria que acabar com esse "avanço"... é isso?

Eu posso sim reconhecer avanços em algumas coisas... Mas posso até mesmo questionar esses avanços por conta da ausência das outras coisas! É preciso sim auxiliar ao que tem renda baixa... Não pode se negociar com isso! Mas não pode se negociar com isso "para lado nenhum"! Nem para dizer que não pode mais ajudar, "pregando" o fim dessa ajuda, nem para "calar" diante das outras necessidades...

Então... alguns dos irmãos que defendem o atual Governo, entendem bem o conceito de Graça do ponto de vista da Bíblia e querem que se reconheça o que há de bom e se "perdoe" o que é errado, quem sabe até nem dizendo que é errado... Mas não vivem isso no dia a dia para com os irmãos da fé ou com relação a outras pessoas que ainda carecem da Graça...

Misturei os assuntos para deixar claro que as pessoas conhecem o conceito... mas aplicam apenas quando interessa, infelizmente, tal qual fariseus nos dias de Jesus... Oremos e mudemos...


Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Será que temos falado o Evangelho mesmo?

Graça, Paz e Alegria!

Jesus dizia - Vinde a mim... e os "irmãos" dizem hoje - isso não é coisa que crente faça...

Ao jovem rico, Jesus disse o que faltava e ele se afastou... hoje em dia, os "irmãos" dizem que não pode ser crente alguém a quem falta alguma coisa, e fazem tudo o que for possível para deixar claro que a pessoa não pode ser crente...

Jesus deixava claro o que era errado e pecado, sem dizer que a salvação não era dada a determinada pessoa, pois ela podia se arrepender... hoje em dia, os "irmãos" tentam deixar claro quem está no céu ou no inferno no confronto com o pecado aparente...

Ao ler a Bíblia, entendemos que o Senhor vê o coração e mesmo aqueles que apresentam os frutos que as pessoas reconhecem, podem ouvir Naquele Dia: Não vos conheço; e quem nem sabia que fazia, logo, nem as pessoas ao redor saberão, poderão ouvir: Vinde... mas os "irmãos" hoje querem discernir com base nos frutos o que é salvo ou perdido...

Os discípulos disseram para Jesus que impediram uma pessoa que não O seguia de fazer algo em Nome Dele e Jesus disse que não era para impedir, pois quem não era contra nós, era por nós... e os "irmãos" hoje tentam "desmascarar" a todo momento a heresia alheia, dizendo que isso não é "cristianismo"...

Os irmãos dos dias da Bíblia conversavam, alertavam, oravam e, quando alguém queria dizer que Jesus era um pouco diferente do que se entendia, ou que na cruz quem morreu não foi o Cristo, apenas uma representação, pois Cristo não pode morrer, ou algo sobre a pessoa de Jesus, ou ainda algo sobre como se obter a salvação em Jesus, e esse tal que queria mudar alguma coisa na história ia ter a palavra em local de culto ou ser recebido como se pregador itinerante, fazia-se o alerta para tomar cuidado com esses, pois eles pregavam outra coisa... hoje em dia, mesmo que seja um "mover" na Austrália, por conta da facilidade de informação, sem nem mesmo conversar, orar e admoestar, os "irmãos" do Brasil já alertam para "heresias"... Austrália e Brasil são apenas exemplos, pensando na distância e na impossibilidade de admoestar antes de "desmascarar"...

Os irmãos dos dias da Bíblia, quando havia pecado recorrente e escandaloso, conversavam, oravam e insistiam em ajudar para a mudança e quando a pessoa não queria mudar, deixavam claro que aquele tipo de atitude era errada... hoje em dia, além de deixar claro que a atitude é errada, se quer deixar bem claro que a pessoa está perdida completamente, sem chance de salvação, pois comeu do próprio vômito e não tem mais chance de mudança (algo que eu não leio no Evangelho... até comer do próprio vômito e, se permanecer nisso, pode ter problemas, tudo bem, até que fica mais difícil uma pessoa assim aceitar novamente a salvação, mas que não tem mais chance de salvação, eu não leio)...

Voltemos ao Evangelho! Todos nós! Há coisas que parecem certas, mas que estão distantes da mensagem que ouvimos ou que, pelo menos, deveríamos ter ouvido... Como diria Paulo, não entendo que já consegui isso, mas vou esquecendo das coisas que ficam para trás e sigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus... Por isso, insisto que todos nós precisamos tomar cuidado... Mesmo quem já entendeu essas coisas, e está em pé com relação a esse assunto, deve tomar cuidado para não cair! Voltemos ao Senhor!

Forte Abraço!
Em Cristo,
Ricardo, pastor